Anprotec, Sebrae e MRV apresentam Desafio Tecnológico

Estão abertas as inscrições para o Desafio Tecnológico “Gestão de Bairros”, uma parceria entre Anprotec, Sebrae e MRV Engenharia que visa identificar e promover a oferta de soluções inovadoras que possam proporcionar uma infraestrutura de gestão inteligente de bairros. A iniciativa selecionará, preferencialmente, soluções para os temas de Mobilidade, Segurança, Comunicação e Sustentabilidade.

Podem participar do Desafio empresas inovadoras (startups e/ou empresas incubadas / aceleradas / graduadas), formalizadas e com sede no Brasil que possuam produtos ou serviços consoantes com a temática. As inscrições estão abertas até dia 1º de outubro e os formulários para as inscrições estão disponíveis na página da Conferência Anprotec, na aba “Desafio Tecnológico”.

O Desafio está alinhado ao tema central da Conferência Anprotec 2017: Inovação e empreendedorismo transformando cidades. Considerada o maior evento de empreendedor da América Latina, a Conferência será realizada entre os dias 23 e 26 de outubro, no Centro de Convenções SulAmérica, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Após o período de seleção, serão escolhidas de 5 a 10 empresas, que participarão de capacitações de pitch training e mentoria na parte da manhã do dia 23 de outubro e, à tarde, farão as apresentações de seus pitchs para uma banca avaliadora formada por representantes da MRV, investidores e entidades públicas.

O Desafio acontecerá dentro do Fórum Sebrae de Inovação, que ocorre no dia 23 de outubro, e congrega gestores do Sistema Sebrae com gestores dos mais diversos ambientes de inovação, além de importantes atores do ecossistema de empreendedorismo inovador. O objetivo da iniciativa é promover e abordar temáticas que estejam consonantes com os anseios e as tendências da agenda de inovação nacional e mundial.

Empresas incubadas, graduadas, aceleradas em alguma incubadora ou aceleradora associada à Anprotec ganharão uma pontuação extra de 10% em sua nota final.

Dúvidas poderão ser endereçadas exclusivamente por e-mail para inovacao@sebrae.com.br até o prazo final de inscrição (01/10/2017). Após essa data, não serão respondidas dúvidas relativas ao Desafio.

Cronograma:

Período de inscrição: 18/09 a 1/10.

Análise e seleção: 2 a 4/10.

Divulgação do resultado: 5/10.

Entrevista com Rubens Barbosa

Rubens Barbosa é presidente do Conselho Superior de Comércio Exterior da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), presidente do Instituto de Relações Internacionais e Comércio Exterior, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Trigo e foi embaixador do Brasil em Londres (1994 – 1999) e em Washington (1999- 2004). Na entrevista, ele fala sobre o tema que abordará em sessão plenária na Conferência Anprotec 2017, sobre globalização e as expectativas para o evento.

Por que a escolha do tema “O Brasil e a nova geopolítica global”?
O conceito de geopolítica tem mudado nos últimos anos. Acho interessante abordar essa nova geopolítica, quais são seus principais componentes e como o Brasil entra nessa nova dinâmica do relacionamento internacional.

De que forma o senhor vê a globalização e seus impactos na inovação mundial?
Esse é um dos aspectos dessa nova geopolítica. A globalização acelerou áreas como finanças, transferências, investimentos, comunicação etc. Isso tem um impacto muito grande nas transações internacionais e na participação dos países nesse novo conjunto de regras que existem no mundo.

O senhor aborda o fechamento de fronteiras como uma ameaça a regiões de inovação. Esse processo já está acontecendo? Na sua opinião ele é bom ou ruim para o Brasil?
O protecionismo dificulta a inserção das indústrias e empresas na globalização. É um dos aspectos que atrasam a ampliação da participação dos países. O Brasil é protecionista em alguns casos e isso é ruim para o país, pois acaba não permitindo acesso a novas tecnologias, novas fontes de industrialização, digitalização etc. Isso é negativo. Mas eu não acho que a globalização esteja retrocedendo e que o protecionismo vá aumentar. A globalização veio para ficar e vai aumentar cada vez mais.

Neste ano, a conferência tem como tema “inovação e empreendedorismo transformando cidades”. Na sua visão, qual é a importância do empreendedorismo inovador e de que forma ele transforma cidades?
Vimos as transformações no Rio de Janeiro por causa dos Jogos Olímpicos, que abriram acesso às novas tecnologias. A tecnologia muda o cenário das cidades e interfere até na arquitetura, conforme podemos observar em locais como Tóquio e Nova York. As cidades são muito influenciadas pelas inovações que estão ocorrendo no mundo.

A edição desse ano comemora os 30 anos da Anprotec. Quais as expectativas para a conferência?
Acho muito importante levantar todos esses aspectos principais que estão ocorrendo no mundo e que têm efeito aqui no Brasil. É importante ter sempre a visão do que está acontecendo nos outros países para que possamos ver se estamos atualizados e o que está acontecendo. Acho que a conferência esse ano pode ajudar a entender um pouco a participação do Brasil no cenário internacional.

Anprotec lança aplicativo da 27ª Conferência

O aplicativo da 27ª Conferência Anprotec já está disponível para download gratuito em smartphones e tablets. Todas as informações sobre o maior evento de empreendedorismo da América Latina agora podem ser acessadas de forma rápida e prática pelo aplicativo, disponível para os sistemas iOS e Android.

A plataforma é atualizada constantemente com as principais notícias do evento e oferece diversos recursos aos usuários. Com ele é possível conhecer melhor os palestrantes, obter informações sobre workshops, plenárias e ficar por dentro de toda programação. Para baixá-lo, basta pesquisar por “Conferência Anprotec 2017″ na loja de aplicativos do dispositivo. Outra forma de acessar diretamente o download da ferramenta é por meio do QR Code que estará disponível no verso dos crachás e em materiais do evento. Esse código leva o usuário diretamente para a página do aplicativo na loja virtual sem que a pessoa precise procurá-lo.

Além de receber as novidades sobre o evento em tempo real por meio da timeline de notícias, durante a Conferência o aplicativo enviará notificações de avisos importantes e dicas. Para facilitar a organização dos participantes, a ferramenta também possibilita o envio de avisos sonoros antes das atividades escolhidas. 

27ª Conferência Anprotec

O maior evento de empreendedorismo inovador da América Latina chega a sua 27ª edição e será realizado de 23 a 26 de outubro, no Centro de Convenções SulAmérica na cidade do Rio de Janeiro. Realizada pela Anprotec e pelo Sebrae, com organização local do Parque Tecnológico da UFRJ, a Conferência Anprotec desse ano tem como tema central “Inovação e empreendedorismo transformando cidades” e comemora os 30 anos da Anprotec e o movimento empreendedor no país.

Prorrogadas as inscrições com taxas promocionais para a 27ª Conferência Anprotec

As inscrições com taxas promocionais para 27ª Conferência Anprotec foram prorrogadas até o dia 11 de setembro. Associados da Anprotec, em grupo e/ou que apresentem trabalhos, também têm desconto na inscrição. Há ainda um desconto progressivo para participantes do Rio de Janeiro. Os interessados podem escolher dentre as diversas atividades oferecidas: minicursos, workshops, fóruns, sessões plenárias e visitas técnicas que permitirão conhecer ambientes de inovação locais. As inscrições podem ser feitas neste link.

A Conferência, que é realizada pela Anprotec em parceria com o Sebrae, é o maior evento de empreendedorismo inovador da América Latina. Comemorando o aniversário de 30 anos da Anprotec, o evento desse ano tem como tema central “Inovação e empreendedorismo transformando cidades” e será realizado no Centro de Convenções SulAmérica, entre os dias 23 e 26 de outubro.

Mauricio Guedes, ex-presidente da Anprotec, convida para 27ª Conferência Anprotec

Mauricio Guedes, fundador do Parque Tecnológico da UFRJ e ex presidente da Anprotec, convida a todos para o maior evento de empreendedorismo inovador da América Latina: a 27ª Conferência Anprotec. O evento, que será realizado de 23 a 26 de outubro, no Rio de Janeiro, conta com a organização local do Parque Tecnológico da UFRJ e trará o tema “Inovação e empreendedorismo transformando cidades”.

Este ano a Conferência também celebra o aniversário de 30 anos da Anprotec e pretende promover um debate sobre a história do empreendedorismo inovador brasileiro e o futuro do movimento. As inscrições podem ser feitas por este link.

 

Últimos dias de inscrições com desconto para a 27ª Conferência Anprotec

Encerram-se no dia 1º de setembro as inscrições com desconto para a 27ª Conferência Anprotec de Empreendedorismo e Ambientes de Inovação, que será realizada de 23 a 26 de outubro, no Rio de Janeiro (RJ).

Comemorando o aniversário de 30 anos da Anprotec, o evento tem como tema central “Inovação e empreendedorismo transformando cidades”. Desafios, conquistas e histórias do empreendedorismo inovador brasileiro serão compartilhados ao longo da programação, que também propõe a reflexão sobre o futuro do movimento.

Na primeira fase, até o dia 01 de setembro, as inscrições estão com taxas promocionais. Na segunda fase os valores serão reajustados. Associados da Anprotec, em grupo e ou que apresentem trabalhos, também têm desconto na inscrição.

Os interessados podem escolher dentre as diversas atividades oferecidas: workshops, minicursos, fóruns, sessões plenárias, sessões técnicas e visitas técnicas. Assim, o custo total da inscrição será igual à soma do valor de cada atividade escolhida.

O evento, que é o maior encontro de empreendedorismo inovador da América Latina e um dos maiores do mundo, é realizado pela Anprotec e pelo Sebrae, e contará, em 2017, com organização local do Parque Tecnológico da UFRJ.

Inscreva-se aqui!

Participantes do Rio de Janeiro tem desconto nas inscrições da Conferência

Participantes do Rio de Janeiro têm direito a descontos progressivos ao realizar a inscrição para a 27ª Conferência Anprotec de Empreendedorismo e Ambientes de Inovação, que será realizada no Centro de Eventos Sul América, Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 23 e 26 de outubro deste ano.

Promovida por Anprotec e Sebrae, a Conferência é um dos maiores eventos da América Latina  sobre empreendedorismo inovador. Nesta edição, o evento tem organização local do Parque Tecnológico da UFRJ.

Para participar da promoção, basta fazer a inscrição normalmente no link e depois enviar um e-mail para inscricao@conferenciaanprotec.com.br, solicitando o desconto.

Confira as vantagens abaixo:

2 pessoas: 10% de desconto

3 pessoas: 20% de desconto

4 pessoas: 30% de desconto

5 ou mais pessoas: 40% de desconto

 

A programação da Conferência inclui uma série de atividades relacionadas ao tema “Inovação e empreendedorismo transformado cidades”.  Os participantes contarão com cursos, workshops, plenárias e visitas técnicas que permitirão conhecer ambientes de inovação locais.

Comitê Científico divulga lista dos trabalhos aprovados na 2ª etapa

O Comitê Científico da Chamada de Trabalhos da 27ª Conferência Anprotec divulga nesta terça-feira (8) as listas dos autores aprovados na 2ª etapa. Com o tema “Inovação e Empreendedorismo Transformado Cidades”, o evento acontecerá entre os dias 23 e 26 de outubro, no Rio de Janeiro (RJ).

Aprovados 2ª Fase – Artigos Completos

Aprovados 2ª Fase – Boas Práticas

Aprovados 2ª Fase – Memórias do Movimento

Os autores selecionados devem enviar o texto final até o dia 21 de agosto. É importante ressaltar que para a submissão dos artigos e divulgação nos Anais da Conferência é obrigatória a inscrição no evento. O autor, responsável pela submissão do trabalho, que enviar o arquivo revisado dentro do prazo estabelecido, terá concessão de desconto no valor da inscrição, de acordo com a tabela divulgada no site do evento.

A cidade do Rio de Janeiro inspira a temática da Conferência 2017 a partir da renovação – urbana, econômica e social – impulsionada pelo empreendedorismo inovador nos últimos anos. Essa transformação, vivenciada em outras regiões do Brasil e do mundo, tem como a base a criação de condições favoráveis à consolidação de uma nova economia, fundamentada no conhecimento.

Discutir o papel a ser desempenhado por ambientes de inovação e mecanismos de geração de empreendimentos, nesse contexto, no Brasil e no mundo é a proposta da Conferência Anprotec.

A submissão dos trabalhos para a última fase deve ser feita neste link.

Confira o Regulamento da Chamada.

Entrevista com Heloisa Menezes, diretora técnica do Sebrae

Graduada em Economia pela PUC-MG e mestre em Desenvolvimento Agrícola pelo CPDA/UFRRJ, Heloísa Menezes é diretora técnica do Sebrae. Foi secretária do Desenvolvimento da Produção, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (2011-2014) e possui mais de 20 anos de experiência em projetos de política industrial, inovação e tecnologia. Em entrevista, Heloísa falou sobre a participação anual do Sebrae na Conferência, abordou a importância do empreendedorismo inovador no país e a expectativa para 27ª Conferência Anprotec. Confira!

 

  1. O que motiva o Sebrae a realizar anualmente a Conferência com a Anprotec?

Para o Sebrae, inovação é fator de competitividade e desenvolvimento. A Conferência é uma excelente oportunidade para o debate e reflexão sobre a inovação no Brasil, em especial, os pequenos negócios. Para ampliar e aprofundar o debate durante a Conferência, conseguimos congregar expoentes nacionais e estrangeiros do ecossistema de inovação. Também será um momento para aquisição de novos conhecimentos e de estreitar relacionamentos. Além disso, convidamos as equipes de inovação do Sebrae nos estados para que estejam presentes e possam interagir e entrosar com os gestores dos ambientes de inovação, bem como vislumbrar formas diferenciadas de atuação cooperada em nível nacional.

 

  1. Neste ano, a Conferência tem como tema “Inovação e empreendedorismo transformando cidades”. Na visão do Sebrae, qual é a importância do empreendedorismo inovador no desenvolvimento das cidades? De que forma o empreendedorismo transforma cidades?

O empreendedorismo inovador é como uma mola propulsora do desenvolvimento e aumento da competitividade nos negócios. Em um ambiente favorável, os pequenos negócios podem se fortalecer e se diferenciar, além de acessar novos mercados, como o de compras públicas, entre outros e, com isso, gerar emprego, dinamizando a economia local. Prefeituras municipais que adotam uma gestão e serviços inovadores, e concedem tratamento simplificado aos pequenos negócios por meio da municipalização da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, podem desenvolver projetos e programas que geram oportunidades de negócios, de emprego e de renda. Isso repercute no desenvolvimento local/regional. Assim, quando o locus são as cidades, vê-se um transbordamento dos efeitos do empreendedorismo inovador para a população, especialmente em relação à saúde, segurança, mobilidade urbana, educação, dentro de uma perspectiva de integração e de longo prazo.

 

  1. Qual é o cenário do empreendedorismo inovador no estado do Rio de Janeiro e na região sudeste? O Sebrae vê um crescimento?

Há um ambiente favorável à inovação na região sudeste. Um estudo focado em cidades brasileiras destaca o grau de empreendedorismo nelas presente. Nesse sentido, das 20 primeiras cidades contempladas nesse estudo, 18 são da região sudeste. Conforme o Índice de Cidades Empreendedoras, que avalia o ambiente regulatório, infraestrutura, mercado, acesso a capital, inovação, capital humano e cultura empreendedora, o Rio de Janeiro ocupa o 14º lugar, tendo caído quatro posições em relação ao estudo anterior. Essa queda, conclui o estudo feito pela Endeavor, é reflexo do ambiente regulatório desfavorável e de condições internas complexas, com altos custos e a pior mobilidade urbana entre as cidades avaliadas. Há, portanto, a necessidade de reversão desses indicadores, o que também significa oportunidades para inovação e negócios.

 

  1. De que forma o Rio de Janeiro representa esse empreendedorismo inovador que transforma cidades?

O Rio de Janeiro se destaca em terceiro lugar, logo depois de São Paulo e Curitiba, conforme o ranking Connected Smart Cities, da consultoria Urban Systems, divulgado neste ano. Esse índice, que elencou as cidades brasileiras mais inteligentes, avaliou a integração entre mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo e governança em mais de 500 cidades. No total, foram avaliadas por 70 indicadores. Em 2016, o Rio de Janeiro ficou na vice-liderança e, no ano anterior, liderou esse ranking, que destaca as cidades inovadoras e, no mínimo, mais agradáveis de viver. Apesar de enfrentar problemas econômicos e políticos, o Rio de Janeiro desbancou São Paulo e voltou a encabeçar o ranking de Tecnologia da Urban Systems, porque os investimentos nessa área continuam em expansão. Segundo esse estudo, o destaque – em termos de indicadores de Tecnologia e Inovação – fica por conta do ambiente inovador, presença de instituições de apoio e a infraestrutura dos centros de ensino superior, como a UERJ, UFRJ, PUC e FGV. Ou seja, apesar das dificuldades encontradas pelos empreendedores cariocas – boa parte dependente de melhores políticas públicas para favorecer o empreendedorismo, – a cidade possui grande potencial para ser tão competitiva em termos de empreendedorismo quanto São Paulo se resolver suas questões internas. Apoiar a realização da Conferência Anprotec é uma contribuição direta do Sebrae para incentivar o empreendedorismo inovador nas cidades, em especial, este ano, no Rio de Janeiro.

 

  1. A Conferência deste ano é um marco, pois comemora os 30 anos da Anprotec. Qual a expectativa do Sebrae para esta edição?

A parceria Sebrae e Anprotec surgiu na década de 90 e consolidou-se como uma das mais importantes relações em prol do movimento de incubadoras de empresas no Brasil. Estar junto da Anprotec nessa data sinaliza ao mercado que o Sebrae continuará dedicando energia para qualificar os ambientes de inovação no Brasil. Nesta edição da Conferência, o Fórum Sebrae de Inovação terá como tema central o Encadeamento Tecnológico entre micro e pequenas empresas e aquelas médias e grandes. Vamos explorar bastante essa temática, de modo a sensibilizar e instrumentalizar os gestores dos ambientes de inovação sobre como trabalhar nessa agenda tão importante para a competitividade e desenvolvimento do nosso país.

Entrevista: José Carlos Pinto, diretor do Parque Tecnológico da UFRJ, organizador local

Diretor do Parque Tecnológico da UFRJ, José Carlos Pinto é mestre e doutor em Engenharia Química pela Coppe/UFRJ. Foi diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Coppe, de 2013 a 2015, e diretor executivo da Fundação Coppetec, instituição sem fins lucrativos, responsável pelos contratos entre empresas e a Universidade, de 2011 a 2015. Na entrevista, José Carlos fala sobre a conferência, as expectativas, a cidade do Rio de Janeiro e a importância da inovação e do empreendedorismo para o país.

O que motivou o Parque Tecnológico da UFRJ a se lançar como organizador local da 27ª Conferência Anprotec?
A principal motivação é o fato de que esse ano estamos comemorando o aniversário da primeira reunião que resultou na criação da Anprotec. Esse encontro aconteceu no Rio de Janeiro, contou com o apoio da UFRJ e foi a partir dele que teve início a rede de colaboração entre parques e incubadoras.

Qual a expectativa do Parque em relação ao evento?
Acreditamos que será um evento tecnicamente relevante, pois os temas relacionados ao empreendedorismo e a inovação são muito relevantes para o país hoje. Esperamos que tenhamos oportunidades para avançar na discussão da construção de um marco legal técnico que seja mais favorável ao movimento empreendedor brasileiro.

O tema desta edição do Seminário é “Inovação e Empreendedorismo transformando cidades”. Na sua visão, de que forma esse tema se relaciona com o Rio de Janeiro?
O Rio de janeiro recentemente foi palco de grandes eventos internacionais, houve uma grande transformação da cidade e o tema da mobilidade, da comunicação e das melhores condições de vida para o cidadão carioca esteve em foco o tempo todo. Nós achamos que esse tema ilustra de maneira perfeita o momento atual das cidades do mundo e em particular do Rio de Janeiro.

Qual o cenário do empreendedorismo inovador no Rio de Janeiro?
A minha impressão é que o movimento empreendedor no Rio de Janeiro é muito forte do ponto de vista cultural. As instituições se falam, participam, se reúnem, são ativas, mas não é muito diferente do que ocorre no Brasil. Toda essa atividade não significa dizer que nós temos um nível de atividade suficiente ou compatível com o tamanho da economia do Rio de Janeiro e da economia brasileira. Há muito o que fazer nessa área. Se pensarmos em todo o envolvimento das pessoas e das instituições, ainda é feito muito pouco e precisamos escalar o número de movimentos, de empresas, de startups, de incubadoras e de parques trabalhando em rede com apoio governamental.

De que forma a realização do evento pode contribuir para consolidar o movimento na região?
Eu acho que ele pode contribuir muito, pois é um evento de muita visibilidade e que certamente vai atrair a atenção dos diversos níveis de governo, pessoas influentes e importantes para a discussão técnica e legal do empreendedorismo. Acredito que a capacidade de influenciar os processos de tomada de decisão nessa área é grande como também é grande a possibilidade de dar visibilidade à importância dessas atividades para o conjunto da sociedade brasileira.

O que o Rio de Janeiro tem a oferecer aos participantes da Conferência?
O Rio de Janeiro inicia oferecendo o próprio Rio de Janeiro. O Rio é uma cidade fascinante acima de tudo. No setor do empreendedorismo, o Rio de Janeiro tem praticado e procurado desenvolver ações de conexão entre instituições de ciência e tecnologia, instituições do conhecimento como o Museu do Amanhã, ações da prefeitura como o VLT, de mobilidade e de monitoramento. O Rio tem muito a oferecer como exemplo e como um laboratório de onde algumas questões relacionadas ao empreendedorismo e à inovação.

Por que é tão importante falar sobre inovação e empreendedorismo no atual momento do país? De que forma a inovação pode contribuir para o crescimento do Brasil?
A importância é absoluta. O Brasil está entre os últimos países do mundo em qualquer ranking que se faça sobre inovação e empreendedorismo. De alguma forma, o conhecimento gerado nas instituições de pesquisa no Brasil, na academia e nas universidades não chega à sociedade brasileira como um todo e, portanto, deixa de beneficiar o conjunto de contribuintes e cidadãos do país. Por isso, qualquer discussão que se faça sobre empreendedorismo e inovação no Brasil é extremamente importante, pois é apenas a inovação e o empreendedorismo que vão tornar possível o encontro entre o conhecimento gerado na academia, nas universidades e as necessidades reais do cidadão que precisa ter acesso a produtos, tecnologias e novos processos. Além de tudo, é importante dizer que no mundo atual, a economia gira em torno do conhecimento. Um país que pretende avançar precisa pensar na qualidade dos produtos e dos serviços que ele oferece para a sociedade. O empreendedorismo e a inovação têm essa importante missão de embarcar mais tecnologia e mais conhecimento nos nossos produtos e serviços.